Somos Tarcísio e Ivanete

Quem somos

Tarcísio Motta é vereador na cidade do Rio de Janeiro e candidato ao governo do estado pela Coligação Mudar é Possível PSOL – PCB. Ao seu lado concorre outra professora, Ivanete Silva.

Motta é professor licenciado do Colégio Pedro II. Seu mandato se destaca em diversas frentes: integra as comissões permanentes de Educação e de Cultura, preside a Comissão Especial de Carnaval e integrou a CPI dos Ônibus, pela qual denunciou uma série de irregularidades entre empresários e o poder público. Em 2014, foi candidato a governador do Rio de Janeiro, também pelo Psol, e conquistou o quinto lugar na eleição, com 712.734 votos.

Filho de operários, nasceu em Petrópolis em 1975. Sua trajetória política começou na sua cidade natal, militando na Pastoral da Juventude. A carreira de historiador começou em 1998, com a formatura no curso de História da Universidade Federal Fluminense (UFF), onde também fez mestrado (2002) e doutorado (2009).

Em 1999, ingressou como professor de História na rede estadual e no município de Duque de Caxias, onde também foi diretor do Núcleo Duque de Caxias do Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe). Eleito também para a direção estadual do mesmo sindicato (2006-2012), atuou prioritariamente na análise dos orçamentos públicos e na discussão das políticas públicas para a educação implantadas pelos governos estadual e municipais.

Participou da reorganização do Fórum em Defesa da Escola Pública (Fedep), que reúne mais de 40 movimentos sociais. Trabalhou ainda em escolas da rede privada e foi professor substituto na UFF em 2003 e 2004.

Em 2005, foi aprovado em concurso público para o Colégio Pedro II. Estudioso da história agrária no Brasil, lecionou na Escola Nacional Florestan Fernandes (MST), em Guararema (SP) em 2009. Integrou o Núcleo de Organização Socialista, composto por militantes da Baixada Fluminense, e contribuiu decisivamente para a formação do Setorial de Educação do Rio de Janeiro.

Ivanete Silva é professora da rede pública, feminista e LGBT.  Tem 50 anos e é candidata a co-governadora do Rio de Janeiro ao lado de Tarcísio Motta, candidato ao governo pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL). Filha de retirantes nordestinos, Ivanete é moradora de Duque de Caxias, na baixada fluminense.

Nascida em 1967. É primogênita de cinco irmãos. Veio para o Rio quando o pai, pedreiro, soube da construção da Ponte Rio Niterói. Ivanete passou a infância entre as tarefas com sua mãe, que era lavadeira e passadeira. Muitas vezes era quem buscava e levava as roupas para as clientes de sua mãe.

Ivanete vem de uma etnia “afroindígena.” A geração de sua avó, é a que começa a sair da Aldeia para casar. Embora seus pais não tenham sido alfabetizados, eles preservaram o direito aos estudos, e cuidavam para que nenhum de seus cinco filhos, deixassem de estudar. Eles passaram a receber, muitos livros de seus vizinhos, e Ivanete os lia sem parar.
Dos dez anos até a juventude, frequentou a Igreja Católica. Fez catecismo, participou do grupo jovem, foi catequista, e participou da construção da Associação de Moradores de seu bairro.

Na juventude, trabalhou em uma fábrica de vidro para relógio e na empresa de Calçados, IRWIN, que fabricava produtos da marca Redley e da Magazine Mesbla. Um fato marcante deste momento, foi a sua primeira greve. Seu chefe lhe chamou e disse: “você só não será demitida hoje, porque é a única que domina a programação da produção da borracha”.
Enfim, passa no concurso do município e decide exercer a profissão de professora, onde percebeu toda a precariedade que a escola pública enfrenta. É tocada por um desejo de mudança daquela realidade, e de justiça para o povo pobre que frequentava a escola pública. “A Escola não é para todos! Mas precisa ser!” E inicia paralelo ao exercício de magistério, sua formação acadêmica em Pedagogia na UERJ, seguida de uma Pós em Gestão Escolar.

Na década de noventa,  dá à luz a sua filha Gabriela e seu segundo filho Gustavo. No início do ano 2000 seu marido é assassinado deixando-a viúva com Gabriela de 4 anos e Gustavo ainda bebê, Ivanete mergulha no trabalho. Nesta época conhece o SEPE, e volta a aproximar se da militância iniciada na adolescência no movimento social da Igreja Católica. Entra na chapa como diretora sindical. Em 2002 Ivanete se filia ao PT, para ajudar na campanha de uma amiga candidata a deputada estadual.

No entanto em pouco tempo sai do PT e junto a outras/outros militantes ajuda a iniciar a organização do PSOL. A jornada segue em um crescente até que em 2012 Ivanete se torna candidata a Prefeita da cidade, foi presidenta do PSOL Caxias e participou do diretório estadual neste último mandato.
Ivanete integrou o Conselho Municipal de Direitos da Mulher e integrante da militância do MNU.

Financie

ELES TÊM ESQUEMAS, NÓS TEMOS UNS AOS OUTROS

Do lado de lá a máfia da velha política conta com os mesmos candidatos de sempre, todos financiados pela corrupção que arruinou o estado.

Já o Tarcísio sempre apostou na contribuição individual em suas campanhas. Nunca aceitou dinheiro de empresa. E aquilo que pra gente sempre foi uma questão de princípio, agora virou regra: nessas eleições só pessoas podem realizar doações para candidatos.

MAIS DO QUE NUNCA, VOCÊ PODE FAZER A DIFERENÇA!

doar agora

Agenda

Participe dos eventos!